EnglishFrançaisDeutschPortuguêsEspañol
21 de setembro de 2020

ONU alerta: Pandemia de COVID-19 pode intensificar a escravidão no mundo

Em relatório apresentado na 45ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU (CDH), o especialista em formas modernas de escravidão, Tomoya Obokata, reforça que a crise causada pela pandemia afeta diversos segmentos da população em escala global. Realizada de 14 de setembro a 6 de outubro, a sessão reuni diplomatas, ONGs, INDHs e funcionários da própria ONU, com o objetivo de dialogarem sobre projetos de resoluções. Esse ano, em razão do COVID-19, está sendo realizada na sede da ONU em Genebra, mas em formato híbrido.

O relator denuncia que as consequências econômicas vão ser piores para os que já estavam em situações de fragilidade antes da crise. Além disso, a extrema pobreza e a desigualdade, reforçadas com impacto da pandemia nos países, aumentam o nível de vulnerabilidade para as formas de escravidão moderna. Segundo ele, as experiências permitem obter informações sobre tendências, e criar estratégias e respostas políticas.

Crianças e adolescentes devem estar entre os mais afetados. O fechamento temporário das escolas, combinado com o medo da escassez de alimento e a falta de segurança local, pode resultar em um nível maior de exploração do Trabalho Infantil e dificultar a volta as aulas no momento de reabertura.

O aumento dos riscos de diversas formas de exploração em virtude da pandemia tem chamado a atenção da comunidade internacional. Recentemente, o Fórum Regional Empresas e Direitos Humanos para América Latina e Caribe trouxe o tema como um convite ao setor produtivo para “transformar desafios em oportunidades”, na construção não apenas de um “novo normal” (como muito se diz), mas de um “normal melhor”, durante e após a pandemia. Nas reuniões, foram levantadas preocupações com relação as populações mais vulneráveis, e foram discutidos caminhos para a tomada de decisões coletivas junto ao setor empresarial.

Leia o relatório completo sobre o impacto do COVID-19 nas formas de escravidão moderna, acesse: https://undocs.org/en/A/HRC/45/8

** Com informações de ONU News

Texto: Milena Zellauy | Edição: Daniele Martins

Vulnerabilidade

Desde 2017, o InPACTO tem se dedicado à análise de fatores que tornam um município, uma região e sua população mais vulneráveis ​​ao trabalho escravo ou a qualquer outra violação de direitos humanos e, a partir do cruzamento e análise de centenas de dados socioeconômicos e demográficos, estabelecer uma escala de risco.

Atualmente, o Índice de Vulnerabilidade InPACTO está estendendo o seu banco de dados para todo o território nacional, já considerando uma atualização por conta do COVID-19 e seus impactos na vulnerabilidade da população. Ao mesmo tempo, estamos desenhando uma plataforma que seja acessível para os nossos associados.

Quer saber mais sobre Vulnerabilidade ao Trabalho Escravo e Infantil no Brasil? Clique aqui!

Gostaria de se manter informado(a) através de notícias deste tipo? Preencha nosso formulário.